Perda de audição é causada por vários fatores e prejudica muito a qualidade de vida. A audição é um sentido que está diretamente relacionado à comunicação, e a sua privação afeta a qualidade de vida, pode provocar reações psicológicas sérias como isolamento, frustração, estresse, depressão e o mais grave, é um forte fator para a demência.

A perda auditiva relacionada à idade, presbiacusia, é consequência do envelhecimento físico natural, e a sua ocorrência comum é depois dos 50 anos de idade de forma progressiva. É irreversível e não pode ser corrigida com cirurgia e ou medicamentos. O mais recomendado é o uso de aparelhos de audição, pois o sistema auditivo tem capacidade de reorganizar quando há uma variação na entrada do estímulo.

Os aparelhos disponíveis no mercado atual, passaram por avanços tecnológicos e científicos consideráveis, tem design sofisticado e proporcionam melhor conforto, qualidade de som, nitidez e redução de ruídos indesejáveis. Contam também com recursos que permitem flexibilidade de ajustes para cada necessidade individual, e tem conectividade com equipamentos externos como televisores e celulares.

Essas possibilidades estão à nossa disposição, para que tenhamos segurança e independência ao avançar da idade. É de grande importância que a detecção da perda auditiva e a indicação ao uso de aparelhos seja realizada o mais cedo possível, estimulando áreas cerebrais responsáveis pela interpretação das palavras antes que deteriorem, será desconfortável estimular um córtex auditivo degenerado. Assim podemos evitar o aumento do comprometimento de habilidades em processamento auditivo, contribuindo para uma melhor adaptação física e psicológica a essa nova condição. Ao perceber qualquer dificuldade auditiva procure os profissionais da área, médico otorrinolaringologista ou fonoaudiólogo audiologista.

Matéria escrita pela fonoaudióloga

Jackeline Martins

Especialista em audiologia – Título CFFA

Mestre em Distúrbios da Comunicação – UTP

Fonoaudióloga da Widex – Paraná